quinta-feira, março 05, 2015

SEMANA DA LEITURA 2015 EM CONCURSO



PALAVRAS DO NUNDO é o mote para um Concurso de Cartaz aberto a todos os alunos de todos os níveis de ensino.
O prazo termina a 20 de março.
O regulamento do concurso pode ser consultado aqui.

quarta-feira, março 04, 2015

E SE, DE REPENTE...

Será que temos bem a noção do quanto a vida é precária, frágil? Passageiros provisórios do planeta Terra, temos de estar conscientes para o probabilidade, quando menos se espera, de a destruição vir do espaço. Como já aconteceu no passado.
O nosso planeta é regularmente atingido por pequenos asteroides. Felizmente, a grande maioria desintegra-se ao entrar na atmosfera.
Mas se, de repente, um grande asteroide atingisse a Terra? Um esteroide de 500 quilómetros de diâmetro? O Discovery Channel fez uma simulação. E o resultado é espantoso. E desolador. Vale a pena ver.

 

sexta-feira, fevereiro 13, 2015

PARA LEMBRAR QUE AMAR É PRECISO

 
 

14 de fevereiro... Como saber se recebeu uma carta de amor? É bastante simples, basta consultar especialistas.

  • 1º método, o de Fernando Pessoa...

Todas as cartas de amor...
Fernando Pessoa
(Poesias de Álvaro de Campos)

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)


Álvaro de Campos, 21/10/1935


  •  2º método, compare o conteúdo da sua carta com estas duas, que foram consideradas as mais belas cartas de amor de sempre:

a) A carta do músico norte-americano Johnny Cash

Johnny Caash apaixonou-se pela cantora June Carter, quando os dois se conheceram num concerto. Casado e com quatro filhas, Johnny Cash manteve uma relação próxima com a cantora e casou-se com ela em 1968, três anos após ter-se divorciado da primeira mulher. Estiveram juntos durante 35 anos e quando June morreu, em 2003, o músico não resistiu quatro meses. 

É desta relação a carta de amor votada como a melhor pelos britânicos, num inquérito realizado por uma seguradora. Johnny Cash enviou a carta em 1994, da Dinamarca, onde estava em digressão, para desejar à sua "princesa", como a costumava chamar, uns felizes 65 anos:

 "Envelhecemos juntos e ficamos acostumados um ao outro. Pensamos na mesma maneira. Sabemos o que o outro quer sem perguntar. Às vezes irritamo-nos um pouco. Talvez, às vezes, tomamo-nos como garantidos. Mas, uma vez por outra, como agora, eu penso nisso e percebo a sorte que tenho em partilhar a minha vida com a maior mulher que alguma vez conheci."



b) A carta do grande Winston Churchill

Winston Churchill escreveu uma carta à mulher, Clementine, datada de 1935, seguida da declaração de amor do poeta britânico, John Keats, à sua vizinha:

 "Não posso existir sem si – esqueço-me de tudo mas não de a ver novamente – a minha Vida parece acabar aí – não vejo para além disso. Você absorveu-me." 

 
  • 3º método, ignore os dois primeiros e siga o seu coração!



Feliz Dia de São Valentim! 

quarta-feira, fevereiro 11, 2015

NOVA GRAMÁTICA VINDA DE LONDRES


O nome do grupo é improvável, algo estranho. Todavia, por estes dias, a música do grupo inglês LONDON GRAMMAR tem um sabor intenso, novo. 

Sabe a viagem pela profundeza do universo e do tempo. Mas é proposta de futuro também. Misto de melancolia sideral e de apelo energético, com uma economia de meios totalmente surpreendente. Música primordial, enervante, desconcertante. E, claro, há a voz de Hanna. Imaterial. Emoção pura.


Energia arrebatadora, que é um convite à urgência de viver. O vosso Capitão adotou esta nova e empolgante nova gramática londrina.


Vale mesmo a pena ouvir. De entre um mar de preciosidades, destaco a canção Strong do álbum If You Wait. Haja força para vencer, apesar das fraquezas. Por estes dias, sinto-me inglês.


Strong

Excuse me for a while
While I'm wide-eyed
And I'm so down caught in the middle
I've excused you for a while
While I'm wide-eyed
And I'm so down caught in the middle
And a lion, a lion, roars would you not listen?
If a child, a child cries would you not forgive them?

Yeah, I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong
I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong

Excuse me for a while,
Turn a blind eye
With a stare caught right in the middle
Have you wondered for a while
I have a feeling deep down?
You're caught in the middle
If a lion, a lion roars would you not listen?
If a child, a child cries would you not forgive them?

Yeah, I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong
I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong

Excuse me for a while
While I'm wide-eyed
And I'm so down caught in the middle
Have you wondered for a while
I have a feeling deep down?
You're caught in the middle
Yeah, I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong
I might seem so strong
Yeah, I might speak so long
I've never been so wrong

Songwriters
ROTHMAN, DANIEL HARRY JOSEPH / MAJOR, DOMINIC ASHLEY RONALD / REID, HANNAH FELICITY MAY

Published by
Lyrics © Warner/Chappell Music, Inc.

USO SEGURO DA INTERNET


Cada vez mais cedo. Mais cedo. Demasiado cedo. Vemos crianças amarradas a tablets, smartphones, computadores. Sozinhas. 
Nas mãos, têm mais tecnologia digital do que a que existia nas primeiras estações espaciais, no início da conquista do espaço, nos finais do séc XX.


E, no entanto, muitas crianças navegam sozinhas. Cada vez mais cedo. Mais cedo. Demasiado cedo. Caravelas solitárias lançadas ao oceano da Web, sujeitas a todos os Mostrengos. 



A utlização segura desse maravilhoso meio que é a Rede Internet deve ser prioritária, é essa a mensagem que nos recorda a efémeride que, ontem, foi assinalada na nossa Biblioteca com a projeção de um Powerpoint alusivo ao Dia da Internet Mais Segura
Acontece todos os anos, no dia 10 de feverereiro.


sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Dia Mundial do Combate ao Cancro - 4 de fevereiro




          
     IPO do Porto. Cartazes nas paredes, num dos pilares junto à entrada. Cartazes simples, sóbrios, eficazes.Como bem salientam os cartazes, esta doença é UM COMBATE.

     Devemos aprender o caminho para vencer o mostrengo. O saber é a nossa arma. É a mensagem possível neste dia importante, que me parece existir, sobretudo, para alertar consciências. Para unir esforços e vontades à volta de um combate comum.

       Depois dos dias cinzentos, brilharão alto as luzes da felicidade. Acreditar, sempre, que a vida é mais forte. Sempre. Eu continuo a acreditar! A lutar. A combater.




Para saber mais

Sítio da Liga Portuguesa Contra o Cancro

quarta-feira, janeiro 28, 2015

SEMANA DA LEITURA 2015 (16 a 20 março)



 

Apromixa-se a realização da 9.ª edição da Semana da leitura, que por sugestão do PLANO NACIONAL DE LEITURA, decorrerá de 16 a 20 de março de 2015. 

Assim, este evento "convida as escolas e os agrupamentos de escolas a celebrarem, com as crianças, os jovens, os adultos e a comunidade em geral, a leitura e os livros.
Juntem-se a nós e venham conviver e divertir-se com as «Palavras do Mundo», entre 16 e 20 março de 2015.
Esta iniciativa, em que se assume o prazer de ler, constitui-se já como um marco em que a leitura salta para a festa da criatividade, da inovação e da pluralidade patenteadas por todos os que continuadamente se envolvem neste desafio.

O envolvimento de todos acaba, também, por mobilizar  diferentes literacias e abordagens de temáticas diversificadas e atuais , relevantes para o exercício de uma cidadania consciente e participativa.
Nesta edição, convoca-se a criatividade e a originalidade na exploração da palavra (dita, escrita, lida ou cantada, …), testemunho da diversidade cultural, social, histórica e estética presente nas representações intemporais e universais da pluralidade da humanidade no nosso Mundo global e inclusivo.



Com vem sendo hábito, no âmbito da Semana da Leitura, será promovido um Concurso que, mais uma vez, apelará à imaginação e a um conjunto de competências muito diversificado convocadas pela presença da leitura numa perspetiva de  transversalidade curricular, e que se centrará  no tema «Palavras do Mundo» (Regulamento a divulgar em setembro de 2014)."

BELAS LEITURAS!

terça-feira, janeiro 27, 2015

QUANDO AS PALAVRAS CHORAM, DIZEM AUSCHWITZ...

 

Hoje, as palavras choram. Há dias assim em que nem o sol distila alegria. O sol pode ser negro, porque vemos o mundo como somos e como nos vemos. E, hoje, transporto negros pensamentos cravados na alma.

Há aniversários tristes, azedos, secos como fontes. Aniversários que nos provocam arrepios frios nos ossos. Hoje, nem o sol aquece. Nem a música consola. Nem os livros me chamam.

Um vento cinzento sopra. Haverá cicatrização possível, mesmo 70 anos depois do inferno?

O gigantesco complexo dos campos da morte de Auschwitz foi libertado há precisamente 70 anos, no dia 27 de janeiro de 1945.

70 anos... Uma vida.

As palavras choram, depois de Auschwitz. As palavras choram. A Shoah sugou a vida de 6 milhões de judeus, homens, mulheres, crianças...
Mas, depois da bárbarie nazi, a bárbarie continuou, repetiu-se, vestindo outras fardas, usando outros nomes, outros motivos, outros preconceitos. Depois da Shoah, houve mais genocídios, mais massacres, mais sinais do mal exercido por grupos humanos contra outros grupos humanos.
Por isso, o maior perigo é o esquecimento. O esquecimento é imperdoável.
Depois de Auschwitz, está provado que Auschwitz voltou a acontecer, de outras formas, com outra dimensão, noutros continentes, com outras vítimas inocentes, em sofrimentos gritados noutras línguas.  
E isso é insuportável, porque parece que nunca mais aprendemos com os exemplos do passado. Porque é que o ser humano não consegue erguer barreiras contra a bárbarie e o ódio ao outro? O que é que falha?

Treblinka, Auschwitz, Sobibor, Dachau, Buchenwald... Nós não esquecemos a gigantesca teia da morte nazi, tecida implacavel e conscientemente durante a 2ª Guerra Mundial.

Houve 200 000 pessoas envolvidas na "Solução Final" idealizada pelas chefias nazis. Conseguiram assassinar 6 milhões. E não foram só os nazis que trabalharam neste infámio labor... E não foram só os judeus os alvos do desprezo e do ódio nazis, embora tenham sido eles os mais atingidos.

Como é digna de admiração, nesse trágico contexto, a ação, a coragem, a dedicação dos justos (são cerca de 28 000 Justos reconhecidos pelo Estado de Israel - como esse número parece frágil, demasiado frágil!) que ousaram, tal como o cônsul português Aristides de Sousa Mendes, abrigar, proteger, salvar judeus perseguidos pelo ódio, pelo medo, pelo terror e pela morte.

Auschwitz aconteceu. Depois, outros genócídios aconteceram ao longo do século XX. Devemos estar extremamente vigilantes. Sabemos demasiado bem que o ódio e a violência depressa encontram novos alvos.

Se não forem construídas pontes entre povos e comunidades diferentes, entre raças e religiões, Auschwitz pode voltar a acontecer, como disse a investigadora Esther Mucznik, numa entrevista concedida à Revista Expresso, na Edição 2204, de 24 de janeiro 2015, a propósito do seu livro  Auschwitz um dia de cada vez : "Auschwitz é uma virtualidade da nossa civilização, pode voltar a acontecer." Permaneçamos vigilantes, portanto.
                                                                                                                         
Esther Mucznik

  Dois livros de Esther Mucznick sobre o Holocausto





Descobrir mais sobre o Holocausto




segunda-feira, janeiro 26, 2015

EM 2015, FAÇA-SE LUZ!


O estado normal do céu é a noite.
Vítor Hugo

Ora aí está um ano novo bem interessante... Com efeito, todo ele é dedicado à LUZ. 

A ONU teve a excelente ideia de designar o ano de 2015 ANO INTERNACIONAL DA LUZ. Mas não foi por acaso. Com tanta luz a brilhar ao longo este ano, seria ótimo que as celebrações pudessem contribuir para permitir à comunidade humana encontrar novos caminhos, novas formas de estar no mundo, se quiser deixar às novas gerações um planeta onde seja possível viver.
Viver não só em paz, em jutiça, em tolerância, em convívio uns  com os outros, e também com as retantes espécies que nos acompanham nesta fugaz passagem a que chamamos "vida". Haja Luz, portanto!


O Ano Internacional da Luz é uma iniciativa global que visa sensibilizar os cidadãos em todo o mundo para a importância, na sua vida diária, da luz e das tecnologias que lhe estão associadas, tais como a ótica. Luz e tecnologia participam plenamente no desenvolvimento da sociedade. Esta é uma oportunidade única para inspirar, educar e conectar-se ao mundo. 

Assim, a 20 de dezembro de 2013, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) proclamou 2015 como o Ano Internacional da Luz e das Tecnologias Associadas à Luz. De facto, a ciencia vai estar em festa ao lngo de todo o ano de 2015. Ora vejamos...



Em 2015, celebram-se  os aniversários de uma série de eventos importantes na história da ciência da luz:


  • Os trabalhos no domínio da ótica de Ibn Al-Haytham, em 1015;














  •  a teoria ondulatória da luz por Fresnel em 1815;


 





















  • a teoria eletromagnética da propagação da luz, avançado por Maxwell, em 1865;







  







James Clerk Maxwell
(1831-1879)                                                                    A luz solar leva 8 minutos até chegar à Terra.



  • as teorias de Einstein sobre o efeito fotoelétrico em 1905 e sobre a relação entre  luz e cosmologia evidenciado pela relatividade geral em 1915;


  •  e a descoberta da radiação cósmica de fundo por Penzias e Wilson, bem como o trabalho de Kao sobre a transmissão de luz em fibras para comunicação ótica, em 1965.







Com tantos e tão geniais padrinhos, o ano de 2015 só pode ser mesmo a Festa da Luz! 


Mais Luz

James Clerk Maxwell

Associação Ótica