sexta-feira, junho 08, 2018

OCEANOS MUNDIALMENTE CELEBRADOS


     FELIZ DIA MUNDIAL DOS OCEANOS! Vamos entrar nesta boa onda que é a luta pela preservação dos mares do mundo!


     Várias são as ameaças à qualidade das águas: poluição causada por milhares de toneladas de plástico, petróleo derramado... enfim uma panóplia trágica que põe em causa a sobrevivência do ecosistema marino e, ao fim e ao cabo, a nossa própria sobrevivência.


     É por isso importante assinalar este dia mundial. É sobretudo um grito de alerta! Um apelo para mantermos os oceanos com águas translúcidas. Oceanos saudáveis e magníficos como este que podemos ver nesta imagem...


Para saber mais

Vale a pena consultar a página oficial do Dia Mundial dos Oceanos, aqui.

segunda-feira, maio 28, 2018

FANTÁSTICA RECRIAÇÃO DA LENDA DA ÁGUA E DO SAL

  
     No âmbito da iniciativa "24 Horas na Escola" realizada nos dias 25 e 26 de maio na Escola Básica D. Nuno Álvares Pereira, os alunos do "Clube de Leitura" da Biblioteca Pedro Seromenho recriaram, na manhã de sábado 26, nas instalações da biblioteca, a lenda da Água e do Sal, que integra a famosa coletânea de Teófilo Braga, Contos Tradicionais do Povo Português (1883).
   A encenação da lenda esteve a cargo das professoras bibliotecárias Paula Vaz e Maria de Deus Monteiro
    
   A dramatização da lenda foi muito agradável, muito bem conseguida  e do agrado dos que estiveram presentes, visivelmente encantados com a prestação dos alunos. O seu  desempenho fez lembrar o de autênticos atores! Parabéns pois a todos eles pelas magníficas interpretações! 

    Uma nota final de agradecimento à Escola de Música Canto Firme pela gentil cedência dos fatos de época e ao encarregado de educação o  Sr. Vítor Melenas, pelo empenho na concretização deste projeto através da realização do lindo cenário.


O Sal e a Água

     Um rei tinha três filhas; perguntou a cada uma delas por sua vez, qual era a mais sua amiga. A mais velha respondeu:
 – Quero mais a meu pai, do que à luz do Sol.
Respondeu a do meio:
 – Gosto mais de meu pai do que de mim mesma.
A mais moça respondeu:
– Quero-lhe tanto, como a comida quer o sal.


O rei entendeu por isto que a filha mais nova o não amava tanto como as outras, e pô-la fora do palácio. 

Ela foi muito triste por esse mundo, e chegou ao palácio de um rei, e aí se ofereceu para ser cozinheira. 
 

Um dia veio à mesa um pastel muito bem feito, e o rei ao parti-lo achou dentro um anel muito pequeno, e de grande preço. Perguntou a todas as damas da corte de quem seria aquele anel. Todas quiseram ver se o anel lhes servia: foi passando, até que foi chamada a cozinheira, e só a ela é que o anel servia. O príncipe viu isto e ficou logo apaixonado por ela, pensando que era de família de nobreza.


Começou então a espreitá-la, porque ela só cozinhava às escondidas, e viu-a vestida com trajos de princesa. Foi chamar o rei seu pai e ambos viram o caso. O rei deu licença ao filho para casar com ela, mas a menina tirou por condição que queria cozinhar pela sua mão o jantar do dia da boda. Para as festas de noivado convidou-se o rei que tinha três filhas, e que pusera fora de casa a mais nova. 

A princesa cozinhou o jantar, mas nos manjares que haviam de ser postos ao rei seu pai não botou sal de propósito. Todos comiam com vontade, mas só o rei convidado é que não comia. Por fim perguntou-lhe o dono da casa, porque é que o rei não comia? Respondeu ele, não sabendo que assistia ao casamento da filha:
– É porque a comida não tem sal.



O pai do noivo fingiu-se raivoso, e mandou que a cozinheira viesse ali dizer porque é que não tinha botado sal na comida. 
 

Veio então a menina vestida de princesa, mas assim que o pai a viu, conheceu-a logo, e confessou ali a sua culpa, por não ter percebido quanto era amado por sua filha, que lhe tinha dito, que lhe queria tanto como a comida quer o sal, e que depois de sofrer tanto nunca se queixara da injustiça de seu pai.



FIM


segunda-feira, abril 30, 2018

À DESCOBERTA DO LIVRO A CIDADE QUE QUERIA VIVER NO CAMPO


A CIDADE QUE QUERIA VIVER NO CAMPO... um livro escrito e ilustrado por Pedro Seromenho é uma obra cheia de poesia e de onde emana alguma melancólica saudade.

O seguinte vídeo é um convite à leitura desta obra magnificamente ilustrada:
 

Não leste ainda esta belíssima obra? Podes requisitá-la na tua biblioteca, a biblioteca Pedro Seromenho

Já a leste? Então envia-nos o teu comentário para o email da biblioteca: becrednap@gmail.com.
                                                                                      Belas leituras! 

A prof.ª bibliotecária Paula Vaz

segunda-feira, abril 23, 2018

ESTE DIA QUE TAMBÉM É UM POUCO O NOSSO DIA


    Para todos nós que gostamos de LIVROS este dia é um pouco o nosso DIA
  Que autor o comoveu, revoltou ou encantou? O que é que já leu hoje? Que livro(s) segurou nas mãos? Que viagem no mundo das histórias, da vida, das personagens já efetuou?
   Se ainda não o fez ainda está a tempo...

    Este original cartaz, baseado numa fotografia que a fotógrafa Luísa Ferreira concebeu no Arquivo Nacional Torre do Tombo, com design da LUPA Designers, pretende transmitir, que um livro cruza com tempo, espaço, língua, cultura, imagem, suporte, fotografia, escrita, mas também uma leitura e muitas leituras, prazer e fruição.  Consulta o cartaz aqui no site da DGLB.

quinta-feira, março 29, 2018

CONCURSO LITERÁRIO E DE DESENHO





A biblioteca da Escola D. Nuno Álvares Pereira organizou um Concurso Literário e de Desenho, no âmbito da vinda do escritor e ilustrador Pedro Seromenho – padrinho da Biblioteca da Escola D. Nuno Álvares Pereira – realizada no dia 21 de março de 2018.

O mesmo era constituído por duas modalidades, a de texto literário e a de desenho. Após reunião do júri, que contou com a presença de Pedro Seromenho, divulgamos os vencedores em ambas as modalidades.

                                                  MODALIDADE TEXTO    
                   
Escalão A – 2º Ciclo

   1º lugar: Ana Sofia Santos – 6ºB
       2º lugar: Luna Araújo Santos – 6ºF

Escalão B – 3º Ciclo

       1º lugar: - Diogo Silva Santos – 9º C


MODALIDADE DESENHO

Escalão A – 2º Ciclo

                                             1º lugar: Luna Araújo Santos – 6ºF

Escalão B – 3º Ciclo

             1º lugar: Maria Carolina Flausino – 7º A

Agradecemos a participação de todos e expressamos os nossos calorosos parabéns aos dignos vencedores pela excelência dos trabalhos apresentados!

Os prémios, oferecidos pela Editora Paleta de Letras, podem ser levantados na biblioteca da Escola D. Nuno Álvares Pereira.

Prof.ª Biblio. Paula Vaz

quarta-feira, março 28, 2018

PEDRO SEROMENHO - O PODER DA PALAVRA



O escritor e ilustrador Pedro Seromenho – o padrinho, desde 22 de fevereiro de 2013, da biblioteca da Escola D. Nuno Álvares Pereira – dinamizou na manhã de 21 de março no auditório da Escola D. Nuno Álvares Pereira, duas palestras para alunos do 5º Ano, no âmbito das atividades promovidas pelas bibliotecas do agrupamento Nuno de Santa Maria ao longo do mês de março para celebrar a Semana da Leitura, o prazer de ler, as emoções, as descobertas e as aventuras que os livros proporcionam. 




Após as apresentações efetuadas pela diretora do agrupamento Dra. Celeste Sousa e pela professora bibliotecária Paula Vaz, Pedro Seromenho evocou a sua mais recente obra A Cidade Que Queria Viver no Campo e outras histórias, deslumbrando todos quantos se deslocaram ao auditório, com a magia comunicativa que todos lhe reconhecemos, contando, desenhando, partilhando vivências, despertando risos e boa disposição. Pedro Seromenho espalha fantasia tão naturalmente como o sol irradia luz ou como um mágico derrama sortilégios. 




As palestras de Pedro Seromenho constituem um valioso contributo para a promoção da leitura, para a apetência de contactar com a palavra escrita, para a descoberta do fascínio das histórias e dos mundos extraordinários, reais ou imaginários, que os livros contêm. A leitura forma-nos enquanto pessoa. Ler é essencial para a nossa formação intelectual, emocional e profissional. Muito do que somos devemo-lo aos livros que lemos.






O seu talento ímpar, a sua inteligência e o seu sentido de humor contribuíram para criar uma intensa e rica interação entre autor e leitores, envolvendo-os nas teias das histórias narradas, fazendo-os viajar no tempo e no espaço, sonhar, sorrir, refletir. Com Pedro Seromenho, magia da arte feita pessoa, a imaginação ganha asas; as palavras voam; o espírito flutua; as mãos batem palmas repetidas vezes, intensamente, como animadas por vontade própria.
 


Cabe-nos, uma vez mais, agradecer a vinda de Pedro Seromenho, reconhecendo que já ansiamos por novas apresentações, novos livros, novos deslumbramentos. É sempre um prazer e um privilégio receber o padrinho da biblioteca da Escola D. Nuno Álvares Pereira em Tomar. Aliás, mais do que um padrinho, o Pedro é um amigo!

A prof. bibliotecária Paula Maria Vaz